FOCO: Rodrigo Pitta

29/11/2017

FOCO: Rodrigo Pitta

Entrevista exclusiva com Rodrigo Pitta.

FluiSP: Como surgiu o convite para ser Embaixador da Água no Brasil? 

Rodrigo Pitta: O convite partiu do meu envolvimento com o tema na minha obra. Lancei em 2003 o livro Agua Gasolina e a Virgem Maria, que tinha o elemento como tema central, e questionava seu valor crescente no mundo, em uma série de poemas. O livro tem prefácio de Gilberto Gil a Arte de Sandra Cinto. Anos depois compus para o bloco afro e movimento cultura Cortejo Afro, de Salvador, criado por meu primo Alberto Pitta e que tem como padrinhos Gilberto Gil e Caetano Veloso. Essa canção Água Tudo, entrou no repertório do meu álbum Estados Alterados (2013), produzido por Arto Lindsay. Por conta dessas duas obras a FIBRA, Fundação Itaipu Brasil me convidou para ser um dos padrinhos do projeto de preservação de da água capitaneado pela hidrelétrica e a ONU: Cultivando Água Boa. Além das Cataratas do Iguaçu, temos no Brasil, o Rio Amazonas, o maior Rio do mundo. É preciso preservar e conscientizar, e que isso seja feito com muito amor música e urgência.

FluiSP: Você tem atitudes de consumo consciente de água? Quais?

Rodrigo Pitta: Olha tenho sim. Eu moro no Pacaembu em São Paulo e mesmo sendo um bairro central, sofremos por aqui com o racionamento de água. Em determinado momento a água acabava e só voltava no dia seguinte. Foi a primeira vez que tive medo, que tudo não fosse voltar atrás. Passei a racionar a limpeza do meu quintal, o tempo no banho, método de lavar a louça, tudo isso. Tem uma coisa engraçada que eu não bebia muita água, nunca bebi muito mesmo. Mas tive pedras no rim e atualmente tenho na minha dieta litros de agua por dia! rs.... 

FluiSP: Você acredita que a música é capaz de transformar e incentivar pessoas a consumirem água de maneira sustentável?

Rodrigo Pitta: Música pode mover montanhas. Existem mil exemplos positivos, ao redor do mundo onde a música pop impulsionou causas nobres como a fome na Africa em We are the world, Sunday Bloody Sunday, em nome do final dos atentados na Irlanda, e até mesmo no Brasil na gravação do álbum Nordeste Já que envolveu um casting de 153 estrelas da música pop brasileira para arrecadar fundos para as vitimas da seca no sertão nordestino. Tem festivais, shows e discos, que promovem causas nobres. O Projeto Flui é um desses eventos e nasceu no momento certo, de acordar o Brasil, para uma causa super importante: a água. 

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter